Educando com Amor...

22 de mar de 2010

Desfraldamento



Esse artigo sobre o desfraldamento, eu recebi de uma diretora de um Centro de Educação Infantil. Ele foi escrito em forma de perguntas e respostas mas eu o refiz de maneira mais simples, para facilitar a leitura. Não sei sua referência, mas achei o artigo oportuno e bem interessante. Como segue:
É recomendável que o treino do toalete comece a ocorrer por volta dos 18 meses. O processo precisa ser natural e acontecer quando a criança der sinais de que quer tirar as fraldas ou pedir para sentar no vaso e ou fazer cocô em horários fixos. Existem alguns lugares que tiram mais cedo as fraldas das crianças , mas sob o ponto de vista da ciência, o que sabe é que realizar a retirada precoce de fraldas pode causar transtornos na criança, como frustração e irritabilidade, dificultando a conquista do controle dos esfincteres – sistema que regula o xixi e o cocô.
Algumas crianças são estimuladas pelos irmãos mais velhos. Alguns bebês podem retroceder no processo de desfralda, por estarem estressados com o nascimento de um irmão. Outros tiram as fraldas sem nenhum problema.
Cada criança é única e passa por diferentes experiências na hora de fazer xixi e cocô. Assim, o ponto de partida do desfralde da turma deve ser o mesmo, como estimular o uso do vaso sanitário, mas as respostas não serão iguais. Espera-se que as crianças tenham o controle dos esfíncteres até os 3 anos, mas acidentes podem acontecer até o início da adolescência e nunca devem ser tratados com violência ou brincadeiras jocosas. Jamais admita que uma criança receba um apelido por fazer xixi ou cocô nas calças.
Ações que podemos utilizar para ajudar a criança a utilizar o vaso sanitário:
• Uma delas é conversar com a criança sobre a necessidade de retirar as fraldas para sua maior independência.
• Promover visitas ao banheiro e o uso do vaso sanitário a cada 30 minutos.
• Aprender a reconhecer os sinais de cada criança na hora em que quer urinar e defecar e encaminhá-la ao banheiro.
• Brincar de dar tchau para o xixi e o cocô.
• Colocar no assento o adaptador para o tamanho da criança pois muitas tem medo de cair no vaso sanitário.
• Não ridicularizar o pequeno que deixa escapar urina ou fezes na roupa íntima, mas reforçar qual é o comportamento esperado.
• Iniciar o processo de desfralde nas estações mais quentes do ano.
• Orientar os pais e contar com a colaboração deles, para que a criança fique, de início, sem fraldas durante o dia. E que à noite, o filho seja levado, mesmo dormindo ao banheiro.
• Pode-se pedir aos pais que utilizem o penico em casa, mas apenas em casa. Nas escolas devem-se usar os banheiros.
• Orientar os pais a colocar mais roupas nas bolsas das crianças, para este período de desfraldamento.

Os educadores e as famílias precisam ser parceiras, pois a criança fica confusa quando a escola ensina que é necessário que ela tire as fraldas e a família envia mensagem de que “ainda quero que você seja o meu bebê” e protela um marco do desenvolvimento do filho. Para começar o assunto pode ser discutido na matrícula e apresentado como tema em mais de uma reunião coletiva e individual. É importante mostrar o esforço da equipe pedagógica em desfraldar as crianças e estabelecer rotinas com as famílias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço muito pela sua participação!