Educando com Amor...

13/07/2014

Copa do Mundo

Este projeto foi elaborado pela professora Adriane, eu apenas elaborei 
algumas atividades.

Justificativa: Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais de Educação Infantil tem como eixos norteadores as interações às brincadeiras, garantindo experiências que: “Promovam o conhecimento de si e do mundo por meio da ampliação dos momentos sensoriais, expressivos e corporais que possibilitem movimentação ampla, expressão da individualidade e respeito pelos ritmos e desejos da criança”. Através de observações nas brincadeiras das crianças, no parque, momentos livres e brincadeiras de casinha, pronunciavam várias vezes assuntos sobre o jogo da copa. Outra discussão interessante, que contribuiu para o despertar desse projeto, foram as brincadeiras de bola entre meninos e meninas do pré I juntamente com o Pré II, que brincavam em alguns momentos no ginásio de esportes de nossa instituição.  A Copa do Mundo se comemora de quadro em quatro anos. E este será para nossas crianças o primeiro contato com o tema, despertando muito interesse entre elas.
 Objetivo Geral: Oportunizar experiência lúdicas que possibilitam, as crianças, conhecer a copa do mundo.
Materiais utilizados: fotos, papel crepom, papel pardo, tinta guache, bola, cartolina, pesquisa em casa, impressão de mapa, globo (de papel pardo e jornal para cada criança), musicas e danças de diversos países ( para demonstrar na tv), comidas típica de cada estado onde o Brasil disputara a copa do mundo, pinturas faciais e spray para cabelo, bandeira do Brasil e Hino Nacional.
Sugestão das crianças: Jogo entre turmas do Pré.
Cronograma: durante o período da Copa.

Atividades:
·        Com fotos dos rostinhos das crianças, será feito a cabeça do jogador, confeccionado de cartolina e pintado com as cores do Brasil pelos crianças. Elas escolherão um numeral para compor o corpo do jogador.

·        Com o papel Kraft, faremos um grande campo de futebol e pintaremos com as mãos com tinta guache, na cor verde.

·        Com o papel crepom,  faremos bolinhas coloridas da cor da bandeira do Brasil para compor as bandeiras xerocadas para as crianças.

·         Com a bola, de acordo com a sugestão das crianças faremos um campeonato entre as crianças dos prés I e prés II, no ginásio do CEMEI.

·        Através de bilhete de pesquisa na agenda das crianças, solicitaremos para os pais que nos enviem algum objeto que tenham em casa, representando a Copa do Mundo, para estarmos explorando suas características e expondo na instituição.

·        Com um mapa personalizado na sala, estaremos visualizando com as crianças os estados que serão realizados os jogos da Copa no Brasil.

·        Proporcionaremos às crianças, algumas degustações de alguns alimentos típicos ou característicos de alguns estados do nosso Brasil, onde será disputado a Copa do Mundo.

·        Faremos com jornal amassado, fita e papel pardo para cada criança um pequenos globo, que será pintado por elas representando nosso globo  terrestre, visualizando o que é terra e o que é água.

·        Dançar e visualizar as músicas típicas de cada pais que jogara com o Brasil.

·        Com maquiagem anti alérgicas e spray de cabelo, faremos penteados coloridos e pinturas faciais, com as cores do Brasil, nas crianças.

·        Cantar o hino nacional. Conversar sobre o respeito para com a bandeira.

·        Construir o fuleco.

·        Fazer o dia da bicicleta. A bicicleta e a criança mais caracterizada com motivos da Copa do Mundo ganhará um fuleco.

·        Apresentar a Brazuca e sua história.

·        Construir os combinados da copa através dos cartões amarelo e vermelho. Explicar sobre o uso destes cartões nos jogos.

·        Atividade de pintura das formas geométricas num desenho do campo de futebol.

·        Colocar as falas das crianças no mural, sobre o que elas acham que significa a Copa do Mundo.

·        Jogo de varetas para enviar para casa. As crianças brincarão com os pais e estes, farão um relato sobre a brincadeira.

·        Poema da Cecília Meireles sobre a bola e atividade de desenho da bola. Que nome você escolheria para a bola da Copa?

Avaliação: Será realizado através de observações, das brincadeiras, falas das crianças, gravação de relatos e fotos no caderno.
Fazendo o pão assado com frutas.

Strukli, pão assado, característico da Croácia. 

Construindo o Fuleco

Fuleco sorteado no dia do passeio de bicicleta
Bicicletas decoradas! Dia de passeio de bicicleta. Ao mesmo tempo realizando um desejo da turma, que no início do ano, em uma atividade, disseram que queriam vir com suas bicicletas. Foi uma festa! colocamos música no estacionamento do CMEI e deixamos eles correrem a vontade com suas bicicletas.. Fizemos o desfile das bicicletas e o desfile das crianças mais caracterizadas. Teve premiação e pirulito para todos os  participantes!





Fizemos a Pachola - Prato típico do México

Fazendo os bolinhos da Pachola. A parte que mais gostaram! A mão na massa...

Copa em época de festa junina... Decoração da porta.

Reconhecendo alguns desenhos relacionados ao tema.

Dia de jogo era dia de festa na sala. Passeio na quadra, etc...


Conversamos sobre os catões amarelo e vermelho numa partida de futebol e surgiu a idéia dos combinados na sala.  
 
As crianças foram de férias e os cartões amarelos e vermelhos, elas levaram pra casa para entregar aos seus pais. Eles vão
utilizá-los nas férias e no retorno irão nos contar como foi a utilização. Se ganharam muitos cartões ou se foram legais em casa, sem necessidade de uso dos cartões.
 

28/03/2014

PROJETO BARCO PIRATA














tema: BARCO PIRATA
 
cronologia:
 
justificativa
 
 
Objetivo Geral
 
Proporcionar um ambiente de brincadeiras com motivos piratas.
 
Objetivo Específico
 
- Conhecer as características dos piratas, seu modo de vida, alimentação, etc;
- Ampliar o repertório de histórias das crianças;
-  Incentivar a imaginação e a criatividade das crianças;
- Trabalhar a noção temporal.
 
Desenvolvimento
 
- Levantamento de hipóteses, dirigido pela professora a partir das seguintes questões desencadeadoras: (roda de conversa)
 
- O que é um pirata? Onde ele vive? Por que alguns piratas tem tampa nos olhos? Existe mapa dos tesouros? Existem piratas hoje em dia?
 
Questões levantadas pelas crianças:
 
( verificar com as crianças e incluir no projeto)
 
 
-Confeccionar uma boina de pirata para brincarmos de faz de conta;
-Cantar músicas relacionadas com o tema.
- Par lenda  relacionado com o tema.
- Contação da história: Literatura Infantil: 21 histórias sobre piratas;
- Contação da história: Carolina e o pirata. (com dobradura do chapéu do pirata)
- Confeccionar um baú dos tesouros;
- Confeccionar em casa com os pais um barco pirata;
- Transformar o trepa-trepa em um barco pirata;
- Documentário sobre os piratas;
- Família Schumann e os piratas;
- Ver noticiário sobre os piratas da atualidade;
- Curiosidades sobre os piratas (conversa sobre o código de conduta dos piratas e montar nosso código de conduta, mudando, reformulando os combinados existentes na sala);
- Trazer objetos de casa, para colocarmos dentro da caixa de tesouros (bijouterias);
- Assistir filme: piratas pirados (animação infantil);
- Fazer a mão do capitão gancho e o tapa-olho;
- Desenhar o mapa pirata e colocar dentro da garrafinha, como a maioria das histórias narram;
- Maquiagem do capitão gancho nas crianças;
- Fazer uma âncora para o barco;
- Elaborar o código de conduta;
 






 
Trabalhar conceitos:
- Comparações entre o presente e o passado (como eram e como é hoje os piratas);
- Promover a leitura do mapa como elemento simbólico do espaço físico em que estamos inseridos;  
- Conceitos geográficos sobre ilhas e mares;
- A alimentação natural (que havia na ilha para manter a sobrevivência?);
 
Brincadeiras de faz de conta:
- Com o tapa-olho e a mão do “capitão gancho”, as crianças brincarão no parque e deverão  perceber as dificuldades que as pessoas têm, quando sofrem a falta de algum membro do seu corpo. Pode ser em momentos diferentes (primeiro com o tapa-olho e depois com a mão do capitão gancho);
- Percorrer os espaços da educação infantil se divertindo à procura de pistas dos imaginados tesouros. (caça ao tesouro);
- Brincar no trepa-trepa do parque externo, fazendo de conta que é um barco pirata indo em direção à ilha que será criada no parque.
- Brincar na ilha de descobertas. A professora incentivará as crianças no faz e conta, imaginando tudo o que encontramos  numa ilha.
- Brincar de faz de conta com os perigos existentes no mar e na ilha.
- Brincar de sobrevivência na ilha;
- Pendurar o mapa na ilha dos piratas;
- Brincar de jogar a âncora do barco.
- Qual nome escolheremos para nosso barco?
 
 





AVALIAÇÃO
 
      Para orientar a avaliação do projeto serão utilizados como parâmetros, diversas perguntas, dentre as quais:
 
• Quais conhecimentos o grupo possuía no início do projeto e o que mudou?
• O grupo demonstrou participação espontânea durante o desenvolvimento do projeto?
• Quais foram os conhecimentos adquiridos pelo grupo?
  • Mudaram seu conceito sobre piratas?
  • Souberam aproveitar dos espaços que foram recriados? (parque).
 
Perguntas para o desenvolvimento do tema durante o Projeto:
 
  • Existem piratas hoje em dia?
  • Como era um ataque pirata e como é atualmente?
  • Como era a alimentação deles?
  • Onde eles moravam?
  • Os piratas enterram tesouros?
  • Que armas usavam?
  • Capitão gancho existiu?
  • Por que ele perdeu a mão?  
Fazer o registro de palavras  novas! E boa sorte!
Seguem as fotos do Projeto
 
 
 

Para que serve um mapa? Questione com as crianças..
Algumas respostas:
 

Débora: pra descobrir o baú
Luciano: pra carros não se perder
Willian: quando quer ir pra algum lugar
Jhulia: igual nas chiquititas eles foram pro acampamento e ganharam um mapa. É pra não se perder.
Leandro: pra um barco ver onde tá um tesouro.
Nathan: pra procurar o tesouro e pra não se perder.
Kauã: pra não se perder.

 
Analisando o mapa de Jaraguá do Sul - Registre as falas, os detalhes!
 
Leandro e Willian:  eu moro em João Pessoa.
Luciano: vou sábado comer pastel em Três Rios do Norte!
Joana: não tem Guaramirim? Eu moro em Guaramirim.
Leandro: reconheceu a cruz como hospital.
Joana: já fui para o centro.
Flávia: tudo isso é o parque da Malwee?
Débora: já fui aqui (na pracinha de Jaraguá)
Tamiris/Luisa/Kauã: já fui no parque da Malwee.
Jhulia: eu vou no Beto Carrero no meu aniversário.
Emanuele: onde é nossa escola? Luan Santana já foi na Arena!
Sabrina e Henrique: já fui ali! ( reconheceram a foto do calçadão)
Luciano: achei a prefeitura!
João: identificou o  símbolo da igreja no mapa. 
Kauan: identificou a bandeira do Brasil no mapa.
Kaique: identificou o símbolo de estádio de futebol! no mapa.
 Andrey: reconheceu a cruz como sendo dos bombeiros.

 


 Desenhamos o mapa a partir de nossa localização. Combinamos que nosso tesouro ficaria escondido no parque da creche.


Guardando o mapa dentro da garrafinha!

Colocamos uma cordinha para pendurar o mapa em nossa "ilha"



 

Pintando e recortando o piratinha
Nossa bandeira pirata inicial.

 
Este livro possuí várias histórias de piratas. Cada dia foi contada uma história diferente.

Modo simples que achei para fazer a mão do capitão gancho! As meias as crianças trouxeram. Com elas, a imaginação fluiu...

Tivemos também exposição de barcos feitos em casa com os pais.




Um caça palavra pirata tembém teve. Algumas surpresas...





Olha este barco que lindo ficou! E que criativo! As crianças brincaram com seus barcos.

Eis aqui nossos piratinhas felizes brincando no Barco Pirata!Na brincadeira a imaginação fluia!
 
Eu também quero uma foto com o nosso baú de tesouros!
As crianças trouxeram muitoooss tesouros..!!
O baú também foi usado para brincar com a matemática.
Contagem, divisão, formas.... Alguns "tesouros" dele foraam escondidos!



A boina pirata. Simples, um pedaço de malha e uma caveirinha em eva







Caça ao tesouro! Todos saíram para encontrá-lo...Onde será que está escondido? Foi aquela correria...
Construindo um chapéu pirata!
Construindoarco o Barco Pirata! Que trabalho!
Prontos para degustar as frutas na ilha pirata
As crianças brincando no Barco Pirata
Pintando a sua espada..
Espadas piratas!

 
Esse eeraaa o leme do barco! Todos queriam ser o capitão só pra brincar com o leme.
Coitado, a essa altura, o leme já tinha perdido alguns pedaços...kkk


 ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE O TEMA, ENCONTRADOS NA INTERNET:


Os piratas são os bandidos mais famosos da história e ganharam muita fama com seus feitos corajosos e ousados, mas será que tudo que se conta sobre eles é verdade?

Os piratas enterravam seus tesouros?

Uma das coisas mais comuns sobre piratas em filmes e livros é o fato deles enterrarem seus tesouros, porém essa história não é muito real. A maioria dos tesouros roubados pelos ladrões marítimos eram alimentos, roupas e coisas usadas para comércio, ou seja, eles precisavam vender esses bens para conseguir dinheiro. E mesmo quando eles capturavam ouro, o gasto era feito quase imediatamente.

Claro que existem relatos de piratas que enterravam seus tesouros, como no caso de William Kidd, um famoso capitão escocês. Depois de ser capturado pelo governo inglês, ele acabou entregando a localização de um tesouro que havia enterrado na Gardiners Island.

Os piratas usavam tapa-olho, perna de pau e coisas do gênero?

Sim! Os piratas eram pessoas “remendadas”. A vida no mar é complicada, ainda mais quando existe o risco constante de batalhas. Por isso, os piratas sofriam bastante. Bastava um problema em algum canhão para que muitos acabassem sem mãos ou pernas. E para piorar tudo, ainda havia um risco grande de surdez.

Os piratas tinham um código de honra?

Sim, eles tinham um código e era seguido rigidamente por todos. Entre a fraternidade dos piratas haviam algumas regras, como o respeito ao capitão, porcentagem para divisão de lucros, pena a rebeldes e coisas assim. Esse conjunto de “leis” era de conhecimento geral e, apesar de não serem obrigados, todos os piratas seguiam o código.


HISTÓRIA DA FAMÍLIA SCHÜRMANN SOBRE OS PIRATAS DA ATUALIDADE


Os piratas não são apenas lendas ou personagens de filmes. Na última semana, um dos principais assuntos foi o seqüestro de um luxuoso iate que retornava de um cruzeiro a Seichelles. Os criminosos eram piratas e mantiveram 30 tripulantes, na maioria franceses, a bordo como reféns.


Os piratas estão de volta

Esta região da Somália, onde aconteceu esse ataque, é repleta de piratas, que assaltam cargueiros para roubar mercadorias ou para seqüestrar turistas e tripulantes em busca de resgates. No ano passado entre 200 e 300 navios foram atacados nessa região sem que houvesse mortos.

Na nossa última viagem ao redor do mundo, estávamos reeditando a rota de Fernão de Magalhães (1519/22) e uma das preocupações era o ataque freqüente de piratas em alguns dos trechos. Passamos um aperto quando navegávamos no mar da China entre as Filipinas e a Indonésia. Na época, em 1999, a média era de 510 navios pirateados por ano.


Uma das nossas maiores preocupações eram os ataques de piratas

Nós estávamos no Aysso ligados 24 horas, via internet, com o Centro de Pirataria da Malásia, que recebia as informações da posição de cada ataque de piratas, transmitidas pelos navios.

Assim, íamos desviando dos locais atacados. Os piratas tinham informantes nas agências de navios e transmitiam a hora e local da passagem dos mesmos.

A técnica usada era de colocar um cabo de aço longo amarrado na proa de duas embarcações Quando o navio passava, batia no cabo e assim juntavam os barcos dos piratas nos dois lados do constado dos navios. Outros utilizam lanchas rápidas e armamento pesado.

Os piratas usam diversas técnicas para seus ataques

Na época, ancoramos em uma ilha linda e deserta na costa das Filipinas. Circulamos a ilha e não encontramos ninguém. Largamos as âncoras e passamos o dia em uma baía protegida e tranqüila. Decidi que iríamos pernoitar por ali mesmo.

Para nossa surpresa, no entardecer, um barco pesqueiro muito suspeito, com umas 11 pessoas, ancorou muito perto de onde estávamos.

Anoiteceu e as luzes do barco foram apagadas. Fiquei preocupado. Peguei os binóculos com visão noturna e notei que havia muito movimento na embarcação. Achei estranho porque quem apaga as luzes é para dormir. De imediato apaguei todas as nossas luzes e a noite estava um breu. Solicitei ao David e Jaime que retirassem a âncora com as mãos e não com o guincho, para não fazer barulho. Depois, subimos as velas e sem ligar o motor fomos de mansinho saindo do local. Com os binóculos, vi que eles estavam colocando um bote na água e estavam vindo direto onde estávamos ancorados. Os dois radares também foram ligados e Heloisa monitorava a posição do barco. Quando eles chegaram onde presumidamente deveríamos estar e notaram que tínhamos zarpado, começaram a atirar a esmo. Nós já estávamos longe e com auxílio do motor e a vela sumimos do local.

 
Ataque de piratas a um barco

 

Nos dias de hoje, temos que ficar atentos onde iremos ancorar. Até mesmo na costa brasileira já foram registrados ataques às embarcações.

Bons Ventos!

Vilfredo Schürmann

Este texto contém fotos que não foram possíveis de baixar junto com o corpo do arquivo no blog. As fotos podem ser vistas no blog da família Schurmann.

 
HISTÓRIA COM UMA ATIVIDADE
CAROLINA E O PIRATA
Carolina morava perto do mar e adorava acordar bem cedo e ficar olhando para o horizonte, imaginando que algum dia um navio pirata chegaria àquela cidade, isso mesmo, ela adorava pirata e histórias de pirata. Num dia de muito sol, Carolina estava lá olhando o mar, quando de repente, avistou um navio e correu para contar para seus amigos que estava chegando um navio pirata. Ninguém acreditou, mas todos foram conferir e, ao pisar na praia, que surpresa! Era um navio pirata com piratas de verdade! Mas eles não eram tão legais como imaginavam. Foram logo dizendo: _Vão embora! Não gostamos de crianças! Todos foram embora e falaram: _Carolina, esqueça essa história. Porém, sozinha, ela disse: _Não vou esquecer, não. Amanhã volto bem cedo para a praia e vou conhecer os piratas. E foi o que ela fez assim que o sol nasceu. Ficou escondida olhando para o pirata, admirando seu chapéu, e, tomando coragem, perguntou: _Seu pirata, posso olhar seu chapéu? Ele respondeu: _Saia daqui! Eu não gosto de crianças! Ela insistiu e repetiu: _Seu pirata, deixe me ver o seu chapéu. Eu gosto tanto de chapéu de pirata. Como ela não parava de falar, o pirata disse: _Tudo bem, eu vou te ensinar a fazer um chapéu igual ao meu. Ela pulou, rodopiou, riu, gritou, só faltou cair de tanta alegria. E ele disse: _Mas vamos logo, tenho mais o que fazer!!!... _Está pronto! (disse o pirata). Mas Carolina queria ficar lá conversando com o pirata e passou a fazer várias perguntas. O pirata começou a respondê-las e, com muito orgulho, contou suas histórias: os tesouros encontrados no fundo do mar, o salvamento de pessoas, as viagens... Depois de falar sobre muitas e muitas aventuras, o pirata se viu sentindo um carinho pela menininha, mas, mesmo assim, ele disse com voz grossa: _Vá embora, que já é muito tarde e eu não gosto de crianças! Aquele dia tinha sido o melhor dia da vida de Carolina, ela estava tão feliz que quase não conseguia dormir. Quando acordou, adivinhem aonde ela foi? Isso mesmo: pegou seu chapéu de pirata e correu para a praia para ouvir mais histórias de pirata, mas, chegando lá, adivinhem o que aconteceu? O barco não estava mais. Ela olhou para o mar, viu-o sumindo na água e ficou muito triste. ... Carolina brincou muito com seu barquinho imaginando seu amigo pirata dentro dele e, todos os dias, ao acordar, ia em direção ao mar esperá-lo voltar. Um dia, ela estava lá, olhando o mar, quando de repente, avistou um barco grande. Porém o mar estava nervoso, as ondas, bravas, e o barco foi sendo jogado de um lado para outro... Ficou com a parte de cima e o mastro quebrados. E o mar continuou revoltado e as ondas eram bem grandes. O barco foi virando, virando e, então, ficou com uma parte do casco quebrada. ... Depois um outro pedaço do outro lado do casco sofreu o mesmo dano. ... Carolina já estava desesperada, imaginado o pirata sumindo no meio do mar e que nunca mais iria encontrá-lo. Alguém pode imaginar o que salvará a vida do pirata? ... O pirata vestiu o colete e começou a nadar, nadar... Até chegar à praia, onde deu um abraço na menininha e disse que estava com saudade. Naquele momento ele gostava de crianças e sempre as reunia para contar suas histórias e aventuras.
FIM = = = = = = = = = = = = = = = = = =
 
DURANTE A HISTÓRIA... À medida que a história está sendo contada e for abordando os temas CHAPÉU, BARCO E COLETE SALVA-VIDAS, você, junto com as crianças, deve confeccionar as dobraduras que se referem a esses objetos (isso é feito a cada pausa dada na história, marcada pelas reticências).
 
 
Fizemos também uma tarde pirata na ilha pirata. Enviamos um recadinho para os pais que
dizia o seguinte:
Senhores Pais, os piratas abordo do navio, encontraram uma linda ilha pirata com muitas frutas. Após muitos dias em alto mar, vão saciar sua fome. Pedimos que contribuam com as brincadeiras e aprendizados lúdicos de seu filho, nos enviando uma  fruta  de verdade para degustarmos em grupo.
Foi feito uma tarde de lanche na ilha. ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­